sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Filhinho da mamãe





São poucas coisas na vida que me causam dó, vou revelar uma delas agora, aqueles caras que são dependentes emocionais da mãe. Juro, tenho vergonha alheia quando vejo um marmanjo assim.
Ele é o tipo de cara que se acha o máximo da liberdade, autonomia, vida plena e cheia de sucesso. Quando você o encontra ele sempre tem uma história para contar, é simpático e cheio de charme, mas em dado momento ele lança no meio da frase algo como “é, minha mãe sempre diz que…”
Minha mãe sempre diz? Que ?!?
ADENDO: mães de todo Brasil não me roguem praga, nada contra as senhoras, adoro mães e adoro minha mãe, mas quando as senhoras viram a referência máxima do que um homem pode pensar e sentir, algo está errado. Bem errado!FECHA ADENDO
Aliás, ele adora dizer que praga de mãe pega, que é bom escutar o que a “véia” tem a dizer e não sabe dizer não para ela.
Esse é o sinal mais perigoso que vejo nesses casos, ele não tem limites com a mãe e costuma mudar toda a sua rota de vida pelos desejos daquela mulher que acredita ser dona da vida do filho.
Ele costuma se tornar o Don Juan, cheio de charme e lábia seduz todas as mulheres e promete tudo no universo, mas não cumpre nada.
Quando namora é um desastre para a namorada, pois tudo é decidido depois do aval da mãe. “Sabe como é que é, minha mãe pediu para eu almoçar lá e não posso recusar, né?”
Ele acredita que sua mãe é uma fonte de sabedoria irrestrita e que tem o dom de prever o futuro.
“Não gosto dessa menina que está com você, meu filho!” O que ele faz? Termina o relacionamento. E provavelmente ela seria a mulher que iria fazê-lo ter uma vida mais independente da mãe e com pensamento próprio.
Essa mãe costuma se achar moderna e liberal, e adota o filho como se fosse o pequeno acompanhante dela 9costuma deixar o marido de lado). É comum ser viúva, separada ou ter um casamento ruim, afinal para que ela vai ter um marido se tem o filho que é o homem “mais especial da vida dela”? Ela costuma projetar na imagem do filho o homem perfeito e criar ele como se fosse um pequeno imperador cheio de privilégios e nenhum desagrado. Nem preciso dizer que ela não dorme enquanto ele não dá sinal de vida (celulares que viram GPS de localização).
Seu temperamento é explosivo e instável, trata o mundo como se fosse uma extensão do quintal de sua casa e gosta de ser tratado como um reizinho inquestionável.
Quando sua mãe morre (incrivelmente esse tipo de mulher não morre nunca) ele perde totalmente o rumo. Ela era tão possessiva, dominadora e castradora (sempre com um sorriso nos lábios) que ele já não sabe como se guiar na vida. Quem não se lembra de Norman Bates conversando com sua mãe empalhada no porão?
Costuma escolher uma mulher que siga a mesma linhagem da sua mãe e o trate como uma criança a quem não se possa questionar ou atribuir uma responsabilidade. Se ela for corajosa e persistente conseguirá com muito custo permanecer ao lado dele, mas sabendo das reais limitações do relacionamento.
Resumindo, apesar de carismático (nem sempre, pode ser deprimido), quando contrariado (tudo o contraria) ele pode se mostrar a pessoa mais detestável e insuportável da face da Terra.
Se você conhecer um espécime deste envie esse texto (ele não vai ler, afinal ele não lê muita coisa e principalmente nada que fale “mal” de mães).

Tem cura? Tem, mas ele não quer.

Uma mulher pode mudar um homem desse? Difícil, todas que tentaram entraram na lista de mulheres infernizadas pela sogra “querida”.

(Texto replicado do site SOBRE A VIDA)